terça-feira, 2 de novembro de 2010

PANFLETO

Galera, na última reunião tiramos de fazer um panfleto e discutir pelo blog e isto ainda não foi encaminhado.
Chegarei em Maringá hoje a noite e irei mexer nisso.
Caso não seja escrito, vou rascunhar algo e colocar aqui.
Abraços

6 comentários:

brunosocialista disse...

Acabei de chegar e maringá e fiquei de encaminhar isso amanhã.. como faço?

se alguém conseguir fazer o panfleto, só me avisar que corro atras de rodar pela manhã!

abraçossss

Bruno Coga

brunosocialista disse...

Pessoas, rascunhei isso aqui e diagramei (bem mal diagramado, mas diagramei).. rsrs.. levo para reunião hj.
Abraços
Bruno coga

Faça diferente. Manifeste-se UEM!

Caros colegas,

Dia 24 de outubro ocorre eleição para o Diretório Central dos Estudantes, o DCE. Esta é sua entidade de representação.

Infelizmente, o grupo que hoje está à frente do DCE não tem interesse nenhum em nos representar e levantar nossas bandeiras. Alguma vez eles apareceram em seu curso, questionaram seus problemas ou defenderam suas causas? Certamente não! Eles preferem à despolitização e apostam não política do “circo” e das mesas de sinuca na entidade. Nós pensamos diferente. Nós nos manifestamos!

Fique atento:

Em época de eleição, grupos que possuem interesses particulares e eleitoreiros se camuflam de novo, dizendo ser “Nenhuma Das Alternativas”, mas por não terem Nada A Declarar, dizem ser diferentes, novos, “apartidários”.

Diferente deles, dizemos claramente quem somos:

Somos estudantes de diversos cursos. Alguns de nós disputamos a eleição do DCE do ano passado em chapas separadas (Descentralize e Vamos à Luta). Outros são alunos novos, que nunca participaram do movimento estudantil, mas enxergam a necessidade de manifestar-se contra a falta de vontade de outros grupos, manifestar-se pela UEM. Optamos por essa unificação, pois entendemos que além de nossas diferenças pessoais e/ou ideológicas está a representatividade e a luta dos estudantes por conquistas.

Se vocês não concordam com o discurso vazio e a falta de representatividade na atual gestão do DCE, Manifeste-se conosco em defesa da Universidade Pública, Gratuita e de qualidade.

Por um DCE com atuação política e que represente os estudantes, nos manifestamos:

• Em defesa da Universidade Pública, Gratuita e de Qualidade;
• Construção da Casa do Estudante Já;
• Por mais verbas pela educação e por expansão com qualidade;
• Contra a privatização da Universidade e pelo fim das taxas;
• Por democracia no DCE, com reuniões abertas a todos os estudantes;

Manifeste-se conosco e venha nos ajudar construir nosso programa.
Manifeste-se UEM

Próximas reuniões: 03, 04 e 05/11 ao lado do CACS (Centro Acadêmico de Ciências Sociais) – Próximo à Cantina dos Quiosques.

Acesse e contribua: http://movimenteseuem.blogspot.com

Erico disse...

Dia 24 de outubro? é 24 de novembro, vai passar por reunião ai fica a já avisado sobre esse erro.

brunosocialista disse...

opa!!! valeu érico!!rsrs

Lisque disse...

Perfeito!

Porém penso que uma organização que defende a classe dos estudantes não deveria se restringir a lutar apenas em âmbito interno, ou seja, para que ocorram melhorias dentro da universidade. Deveríamos lutar também pelos interesses dos estudantes em âmbito externo, aquelas questões políticas municipais, estaduais e federais. Por exemplo:
_ no estado de São Paulo os estudantes tem o direito de requerer desconto de 50% nas passagens intermunicipais, entre o local onde estudam e o local de seu domicílio, isso desde 1989. [Decreto Nº 30.945, de 12 de dezembro de 1989].
_o transporte público urbano em Maringá é muito caro! Se eu não me engano é R$2,60 (eu ando pouco de ônibus, saio pouco da Zona7). E o fato que mais me assustou é que não há integração no terminal, quando você sai de um ônibus e entra em outro, mesmo sem sair das dependências do terminal, você paga outra passagem. Além disso, aqui em Maringá, extinguimos a profissão de cobrador de ônibus, ou seja, é um salário, uma despesa, a menos para a empresa operadora do serviço. Não sei se há lucro ou imposto abusivo, mas o fato é que quem depende desse serviço se encontra desamparado.

Pati disse...

pois é, a UEM é limitada pelas políticas públicas e privadas feitas nestas instâncias, e que só podem ser superadas intervindo nelas (como programas de sucateamento da educação, contratação, bolsas, transporte, etc.). É estranho pensar que há um lado de dentro e um lado de fora da universidade, pois ainda estamos na sociedade civil para além do fato de estudarmos na UEM. Em última instância, toda medida política surte efeito na forma da Universidade na medida em que mantém ou modifica as diferenças sociais e o acesso à educação...

ainda assim, o que percebemos são questões muito imediatas que ainda não foram resolvidas, no que toca ao direcionamento dos recursos que a Universidade já recebe, e por isso estamos frisando mais estas questões...