sexta-feira, 5 de novembro de 2010

CONTRIBUIÇÃO PARA PROGRAMA DA CHAPA

OPRESSÕES
  • Promover a calourada com debates sobre machismo, racismo e homofobia;
  • Promover atividades sobre o Dia da Mulher, Consciência Negra e Visibilidade Lésbica;
  • Criar grupos de trabalho no DCE sobre os movimentos feminista, negro e LGBT;
  • Repudiar publicamente todos os casos de machismo, racismo e homofobia.
ACESSO E PERMANÊNCIA
  • Reivindicar 10% do orçamento da UEM para políticas de assistência estudantil;
  • Estudante está aqui para estudar e não para completar a defasagem de funcionários da universidade; 
  • Lutar para transformar todas as bolsas trabalho em bolsas de ensino, pesquisa e extensão.
  • Chega de papel. Pela construção imediata da CEU;
  • Transparência e efetividade das cotas sociais.
CULTURA
  • Constução da concha acústica;
  • Resgatar os saraus como espaço de exposição artística dos acadêmicos;
  • Realizar festivais de bandas universitárias
  • Fomentar apresentações de teatro no RU durante o almoço e jantar, principalmente quando houver necessidade de levar discussões aos acadêmicos sobre os fatos que ocorrem na universidade.
MOVIMENTO ESTUDANTIL 
  • Atuar em conjunto com os Centros Acadêmicos na luta sobre suas pautas específicas;
  • Realizar Conselhos de Entidades Estudantis de Base (CEEBs) mensalmente, para prestar contas politica e finaceiramente da gestão;
  • Gestão do DCE próxima da base estudantil, com informativos, jornais e manual do calouro;
  • Contribuir polica e financeiramente com as atividades promovidas pelos Centros Acadêmicos;
  • Lutar em conjunto com funcionários e professores por melhorias na educação;
  • Promover debates sobre educação. Ex: O que é e para que serve o PROUNI, REUNI e Ensino a Distância (EAD);
  • Discutir as pautas do Movimento Estudantil Combativo com a base estudantil;
  • Promover debates sobre questões locais, estaduais e nacionais.

5 comentários:

Galo disse...

Melhorias nas salas de aula pelo amor de Deus!
As carteiras dos blocos 33,26 e 27 estão muito podre. As salas são muito sujas, ventiladores cheio de pó, quadros com pinceis sem tinta.

Precisava reclamar nessa parte também!

Samuel disse...

Chega de papel, construção imediata do CEU - Vão começar as obras já manolo huaihaaaihaia

brunosocialista disse...

Galera, em minha opinião, é isso que precisamos.

Propostas claras e objetivas.
Creio que poderíamos incorporar as propostas dos camaradas que debatem sobre o funcionamento da entidade e aprofundar isso em reunião hoje.

Em minha opinião, seria legal pensar em um jornalzinho desde já. Coisa simples, com 1) uma breve introdução (de como se formou a chapa); 2)Um texto simples explicando pq queremos ganhar as eleições (pegando questões gerais e expor aqui a questão da democracia e do método); 3) Propostas; 4)Membros da Chapa e Apoiadores (muitos apoiadores)

É isso galera. "Quem não se movimenta, não sente as correntes que o prendem".. Movimente-se uem!

vick gombi disse...

Acho que mais importante do que realizar os saraus seria conseguir algo mais permanente para UEM no ambito cultural. Nao pq nao seja legais os saraus, mas pq, no final, para acontecer os saraus, dependemos da boa vontade de poucos e, como nao temos verba para esses eventos, acabamos nao conseguindo fazer um evento com qualidade, pelo menos com uma aparelhagem de som boa pras bandas que já fazem suas apresentaçoes de graça. Por isso, penso que um ponto importante seria reinvidicarmos por mais verbas para DCU, que hoje recebe 30 mil para realizar todos os eventos que realiza durante o ano, incluindo o acorde universitário e a temporada universitária. Um exemplo das possíveis parcerias que os estudantes poderiam fazer com a DCU foi o evento legal de alguns sábados atrás que rolou nas quadras da uem (apesar do problema com a divulgaçao do evento). A DCU ajudou o evento conseguindo passagens pela UEM para os músicos que vieram de fora, ou seja, disponibilizou alguma verba para a realizaçao do evento. Com o aumento da verba para DCU ficaria mais fácil para que essas parcerias aumentassem (principalmente se um DCE se propusesse para tal). Assim, poderíamos bolar eventos com mais qualidade, valorizando os artistas que já fazem muito em condiçoes precárias para receberem quase nada.
Outra maneira de conseguir coisas permanentes seria reivindicando por uma aparelhagem de som melhor na UEM, para que nesses eventos nao se gaste tanta verba com o aluguel de aparelhagem de som. Acho que essas conquistas e mais a construçao da concha acústica possibilitaria uma nova vida cultural para o pessoal da UEM, com mais qualidade para os expectadores e mais valorizaçao dos artistas. É claro que isso nao nega a realizaçao dos saraus, mas nos faz pensar numa vida cultural que vai pra além dele. Um trabalho nas políticas culturais da própria UEM mesmo.

. disse...

Tinha que vir do Phill esse Post, porque quase não coloca de fato a questão diferencial da nossa chapa: a abertura total para a participação dos estudantes que desejam. Assim fica realmente dificil, tudo bem essas são possiveis propostas, mas dependem das assembleias da gestão, não é certo que ocorreram essas deliberações, tudo bem que todos, ou a maioria de nós concordamos com essas bandeiras, mas elas seguem os moldes partidários, elas vem de cima para baixo, falta debate, estimulo, já vem tudo pronto, como diaria Tom Zé: "é somente foliar e usar..."
Tento respeitar as diferenças entre nós. Porém não consigo quando somos atropelados, ignorados. Um discurso pronto é o que eu não quero para a minha vida. Ass. Tiê.