terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

Os problemas que enfrentamos na Universidade Pública afeta a todos!

Texto repassado pela Profª Marta Bellini.


‎"Depois da polícia, professores das universidades estaduais ameaçam parar 
Categoria quer que o governador Beto Richa cumpra acordo. 

Após o perigo iminente de policiais civis e militares entrarem em greve o governador Beto Richa enfrentará outra “saia justa”. Os professores das universidades estaduais do Paraná, incluindo a Unicentro, ameaçam entrar em greve a partir do dia 14 de março, caso o governo não atenda às reivindicações da categoria. Para deflagrar o movimento, um ato público será realizado no dia 7 de março, em Curitiba, onde os professores cobrarão a retomada das discussões sobre o plano de carreira, que começou ainda em 2011.

Os professores querem que haja equiparação salarial com os técnicos administrativos do estado, alegando que estes têm a mesma formação. Entretanto, um técnico recebe hoje R$ 2.382,77, um professor auxiliar ganha apenas R$ 1.808,82.
Outra reivindicação importante a ser abordada entre governo e os sindicatos da categoria é a revisão dos cortes dos cortes dos recursos para custeio das universidades, estabelecidos no início de 2012.

O Governo do Paraná alega não ter recursos, mas sindicato apontam dados que mostram o contrário. O investimento com folha de pagamento está abaixo dos limites da Lei de Responsabilidade Fiscal, que é de 49%. Atualmente o gasto com folha de pagamento está em 46%. O impacto da equiparação salarial do piso dos docentes em três parcelas de 9,62%, significa algo entre 0,1 e 0,2% da folha de pagamento total do Estado a cada ano. 
“Um valor pequeno”, avalia a Adunicentro, , entidade que congrega os professores da Unicentro.
Segundo o DIEESE o governo do Paraná também investiu menos em educação em 2011 (30,17%) do que em 2010 (31,79%). Os números absolutos aumentaram, mas não se comparados à arrecadação, que aumentou 15% (de 14 para R$ 16 bilhões). A lei obriga que se gaste no mínimo 30%.

E tem mais um dado. A estimativa do DIEESE é que o crescimento da arrecadação do Estado seja de 6%. Mas este é um valor subestimado e que deve ficar entre 10% e 12%, aponta o Dieese. 

“Caso o governo não mude sua posição intransigente em relação ao rompimento do acordo salarial com os docentes, haverá discussão de indicativo de greve geral a partir de 14 de março”, avisa a Adunicentro".

--

Além disso, enquanto estudantes, temos que nos atentar também a nossa Pauta! Temos pontos específicos da demanda estudantil, que na realidade é consequência do problema central que é o mesmo que assola as três categorias (estudantes, professores e técnicos) não só da nossa universidade, mas de TODAS as Instituição Estaduais de Ensino do Paraná!

Corte de verba => precarização da Educação => PRIVATIZAÇÃO DAS INSTITUIÇÕES PÚBLICAS!

Estamos sentindo na pele esse sucateamento, no nosso cotidiano. 
A questão é: enquanto estudantes precisamos também nos posicionar e agir! 

Fiquem atentos às informações! acesse sempre o nosso blog e procurem o DCE.



SÁBADO (03/03) TEREMOS CEEB! Informe-se com o seu Centro Acadêmico.

Vamos lutar pelo o que é nosso de direito! Contra os ataques do Governo Beto Richa!


Movimente-se!

3 comentários:

Josyribeiro' disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Josyribeiro' disse...

abrangência maior. O que acham?

Aqui deixo o e-mail do D.A., blog e o meu e-mail pessoal.
diretorio.uffs@gmail.com
http://diretoriouffsrealeza.blogspot.com/
josyribeiro4@gmail.com


Abraço!

Nicolle. disse...

Olá Josy!

Respondi por email a você e ao D.A.
Adiantando sobre como mobilizar, a gente faz panfletagens, principalmente na entrada e saída do R.U no almoço e janta e passagens em sala!Além da divulgação on-line facebook, blog, etc, que funciona bem tbm :)